XIV Encontro da Associação Brasileira de Literatura Comparada

Ementa - Minicursos

Dr. Humberto Hermenegildo (UFRN)

Ementa: "Possibilidades de leitura de correspondências de escritores em contexto de sala de aula, na sua relação com o texto literário, especialmente cartas de modernistas brasileiros que apresentem discussões sobre projetos de escrita e sobre dominantes culturais, com o objetivo de contribuir, por meio de conceitos e métodos, para a superação de um ensino voltado exclusivamente aos estilos de época e/ou aos gêneros literários".

Dr. Allison Leão (UEA)

Ementa: Abordaremos imagens da natureza amazônica presentes na produção ficcional amazonense do século XX, tanto as imagens propriamente ditas como a linguagem que lhe serve de suporte e que recria, no texto, a natureza. Consideraremos textos referenciais como Inferno verde, de Alberto Rangel e A selva, de Ferreira de Castro, assim como o reprocessamento que prosadores amazonenses como Astrid Cabral e Erasmo Linhares executaram na tradição de representação da natureza, entre as décadas de 1950 e 1980. Buscaremos mostrar a existência de um intenso trânsito de idéias a partir do mote das imegens sobre a natureza e a cultura na Amazônia.

Dr. Fernando Cerisara Gil (UFPR)

Ementa: O curso pretende examinar como os escritores brasileiros refletiram, ao longo do século XIX, a respeito da forma romance em suas diferentes facetas. Interessa-nos discutir, por exemplo, como eles compreendiam as possíveis funções do romance e como se pode entrever, no próprio modo de compreensão dessas funções, parte significativa do processo literário. Ou ainda tentar entender por que a crítica às obras romanescas se tornou o espaço do "propriamente literário" no Brasil do século XIX.

Dr. Luiz Carlos Santos Simon (UEL)

Ementa: A proposta é o enfoque de possibilidades de inclusão da crônica em práticas docentes na área de Letras. Há ênfase sobre questões como: a) a adequação do gênero às experiências com leitura e interpretação; b) a abordagem de discussões teóricas vinculadas à conceituação do fenômeno literário; c) as afinidades entre a crônica brasileira do século XX e as produções modernistas; e d) as aproximações entre crônicas contemporâneas e os valores que circulam no tempo presente.

Profa. Dra. Helena Bonito

Ementa: A literatura brasileira, como as demais atividades artísticas e culturais, sofreu variados efeitos do regime ditatorial. Não só a censura e a proibição de circulação de livros, como também uma espécie de autocensura, por parte de alguns escritores, interferiram na produção poética e romanesca. Apesar disso, destacam-se valiosas representações do período em textos narrativos como Zero, de Ignacio de Loyola Brandão, A casa de vidro, de Ivan Ângelo, O que é isso, companheiro?,de Fernando Gabeira, dentre outros. Diversas são as modalidades de ficcionalização, irônicas ou alegóricas, próximas dos acontecimentos, quase jornalísticas, ou ainda bastante elaboradas do ponto de vista formal. A apresentação do contexto literário dos anos 70 e a discussão dessas modalidades literárias constituem o conteúdo deste minicurso.

Prof. Dr. Sílvio Holanda

Ementa: Breve exame de alguns textos teóricos fundamentais de Hans Robert Jauss (1921-1997), com base na ideia central de que "o sentido da obra de arte não é mais concebido como uma substância transtemporal, mas como uma totalidade que se constitui na própria história" (Jauss, 1991, p. 212-213) e de que a obra engloba, ao mesmo tempo, o texto, como estrutura dada, e sua recepção ou percepção por parte do leitor ou espectador. Assim, à luz da hermenêutica literária, examinar-se-á a tese de 1955 (Zeit und Erinnerung in Marcel Prousts A la recherche du temps perdu) como investigação fundamental, anterior às famosas teses de 1967 (Literaturgeschichte als Provokation der Literaturwissenschaft), bem como o último livro publicado por Jauss, ainda inédito em português, Wege des Verstehens (1994; tradução espanhola: Caminos de la comprensión, por Pol Capdevila e outros, 2012).